Que a alegria se torne rotina… Bora ser feliz?

Rodrigo Costa (*)
 
 
 bora-ser-feliz
 
 

Nunca se ouviu falar tanto em felicidade como agora. Todo dia quando abro as redes sociais me deparo com uma postagem dizendo para ser feliz, e não perder tempo para essa tão sonhada busca, tantos gifs que nem me lembro de todos, mas eles me empolgam cada vez que me deparo com um. Parece que todo mundo descobriu a possibilidade de ser feliz, fazendo aquilo que gosta: “hace lo que quieres hacer, antes que se convierta em lo que te gustaría haber hecho”. Mas não é tão simples, como tudo que é bom.

A insatisfação vem justamente da geração que foi chamada de Y ou internet (eu quase fiquei de fora, rsrsrs, bati na trave, mas tô dentro). Nossos pais, que são da chamada de geração X, procuravam a estabilidade, a segurança, exatamente o contrário da geração Y, que busca ambiciosamente por desafios, inovação e realização acima de tudo. Por termos nascido no boom da tecnologia somos ávidos por ela, sentindo até abstinência quando não estamos conectados – trocar de smartphone a cada lançamento é um pequeno exemplo (\m/, luta eterna contra o meu consumismo). Nós fomos criados para sermos os melhores, pois nossos pais fizeram de tudo para nos dar aquilo que não tinham e superar as dificuldades para que nós fossemos especiais. Ainda mais com tanta tecnologia nos influenciando e guiando.

No entanto, ninguém é especial. Ninguém é melhor que ninguém, mesmo cada um acreditando ser o melhor, o especial, o foda! E essa constatação é o tapa na cara. Por isso, a busca incansável pela felicidade, porque fomos criados para o sucesso profissional!  E quando isso não acontece a frustação nos bate à porta, nos empurrando com uma força brutal, que não conseguimos segurar. E nos leva ladeira a baixo em busca do quase impossível. Largamos empregos simplesmente pelo fato de não acrescentarem nada em nossas vidas.  Justamente porque estamos em busca de qualidade de vida, e só depois nos preocupamos com o trabalho, que ficou em segundo plano.

Resumindo, não quero repetir o que já existe aos montes por aí, nem é objetivo um texto de auto ajuda. Mas um desabafo de quem luta, anseia pela felicidade.

Assim como nas campanhas das redes sociais estimulando a tão sonhada felicidade, só quero viver nesse mundo, puro egoísmo, ser o melhor, mas onde todos poderiam fazer aquilo que gostam, e a vida íntima seria mais importante do que a profissional, caso as duas não fossem compatíveis. Primeiro vem o eu!

Quando leio as tais mensagens fico eufórico, com vontade de largar tudo e correr pelo mundo. Sair do escritório, sala fechada e viver! Pular para fora das paredes dessa prisão e correr livremente, sem destino, sem rumo! Mas a vida é tão cheia de mas… que já estou cansado de ver tanta busca de felicidade, tanta busca em ser melhor, tanta busca por brilhar. Que fracassado que sou, só quero ficar quieto, entre as paredes do trabalho ,e esperar pelo próximo gif e tudo recomeçar, euforia sem fim.

felicidade

Imagens reproduzidas de redes sociais

(*) Rodrigo Costa, jornalista, é Hot People –  rodrigo.poramaisb@gmail.com

Ele está nas redes sociais como @rodrigocostarcc

Categoria: Avesso