‘Azul que é pura memória de algum lugar’ na Cor do Mês, inspirada também no Niagara, Lapis Blue e Island Paradise da Pantone

Por A mais B, blue, Cor do Mês: Camisa e saia em dois tons de azul clarinho da grife espanhola 2nd Skin Co; despojamento e máximo efeito em uma peça clássica (Madri, AgênciaNet)

bluejan_pantone20Beth Barra

Imagine céu e mar com os  diferentes tons envolvendo essa imensidão de azul. Você está tendo um caso de amor em blue nas três cores do Fashion Color Report Spring 2017 que compõem a cartela da Pantone. Greenery foi eleita a cor do ano pelo instituto, mas as tonalidades do Niagara, Lapis Blue e Island Paradise têm também a mistura de vitalidade, frescor, relaxamento e natureza em suas variações ora clássica; ora enérgica; ora sonhadora. Elas aparecem  em diversos matizes nas coleções primavera-verão que já foram lançadas e devem surgir também nas passarelas das próximas semanas de moda.

Por A mais B inspirou-se nos três tons em blue da Casa Pantone e elegeu o azul a Cor do Mês. Que chega remetendo à natureza,  frescor, energia, força e encontros de céu e mar nos looks para todas as mulheres do mundo. Dos matizes clarinhos, aquosos, fluidos e sensuais das fendas e decotes do spring 2017 Versace a peças despojadas da Boss, por Jason Wu, que lançou dress delineando levemente o corpo, comprimento midi, alguns usados com camisetas e a slider, chinelo hit love da temporada.

Sentimentos e emoções, busca de paz e pactos com a natureza são representações das dez cores do Fashion Color Report Spring 2017. Mais do que tons que aparecem nas coleções e nas ruas, eles  indicam os desejos de simplicidade e relaxamento das pessoas em um mundo que tem cada vez mais pressa, tecnologia, relações virtuais. Essa foi a leitura divulgada pelo Instituto Pantone sobre a nova cartela – “os designers aplicaram cores em combinações lúdicas, bem-calculadas e precisas, para captar plenamente as promessas, esperança e transformação pela qual esperamos a cada primavera”, disse Leatrice Eiseman, diretora executiva da mais importante casa de tendências de cores.

Essas observações vêm dos desfiles da Semana de Moda de Nova York em setembro último, que inspirou a paleta 2017, incluindo o Greenery, cor do ano. Não por acaso, além do verde, que tem dois matizes, o blue surgiu em três tonalidades. Tipo ‘azul que é pura memória de algum lugar’, da camiseta aos acessórios à beleza das pedras preciosas, objetos de design, detalhes de projetos arquitetônicos. Essa é a extensão e a influência da cartela anual da Pantone, que capta,  investiga e conecta em sua elaboração desejos ligados também à vida.

bluejan_pantone_niagara2

Por A mais B, blue, Cor do Mês: Niagara da Pantone, o clássico azul like denim, conforto, relaxamento (Tory Burch, NY, Fotosite)

bluejan_pantone_island2

Por A mais B, blue, Cor do Mês: O  refrescante e lindo Island Paradise remete a um tom verde azulado, ao encontro límpido de céu e mar no Color Report Spring 2017 da Pantone (Versace, Paris, Fotosite)

bluejan_pantone_lapisblue2

Por A mais B, blue, Cor do Mês: Um azul intenso que envolve energia e confiança são predicados do belo Lapis Blue, uma das dez cores Pantone 2017 (Balmain, Paris, Fotosite)

O azul é vida. Nosso planeta é blue; mares, céu, flora, fauna são repletos dos tons de azul. Da cartela de cores frias, ele surge no vestuário e nos acessórios em todos matizes e nessa primavera-verão 2017 aparece em produções monocolor ou dominando looks que ganharam detalhes em vermelho, como em peças da coleção Tory Burch lançada na Semana de Nova York.

A estilista queridinha dos EUA brincou com detalhes em red sobre o azul. Ora nas forrações sobre  looks de silhuetas definidas e refinadas; ora adicionados em babados, também em renda, no modelo curtinho e fresh ou aplicado no vestido de fendas laterais,  midi e em técnica de alfaiataria.  Um blue mais próximo do Niagara,   uma das referências das aplicações lúdicas, calculadas e precisas das cores, como divulgou a Casa Pantone.

Do outro lado do mundo, Giorgio Armani, no lançamento da coleção em Paris, trabalhou diferentes tons de azul – uma cor que o designer italiano domina e é quase uma assinatura dele. O estilista e seus tecidos preciosos como a seda em looks contemporâneos e despojados. Blues intensos lembrando  petróleo, aquarelados como o Island Paradise ou tão belos como um céu sem nuvens. Além dos matizes diversos, ele também adicionou o vermelho ou oliva claro a alguns looks em mix de tops, saias, casacos em um efeito belíssimo de styling (a combinação de peças) e a fluidez das silhuetas + detalhes de rendas, aplicações, laços, babados, nervuras delicadas. Nos pés, sapatos oxford coloridos,  sandálias de salto alto + meia soquetes (uma graça chique) e  rasteiras.

Sobreposições, fluidez, alfaiataria,  transparências em modelos ladylike no azul intenso de musselines e sedas da Lanvin, criações de Bouchra Jarrar, a estilista refinada, que tem sua própria marca, e assumiu a maison em março de 2016. O sex appeal da Balmain (designer Olivier Rousteing) aparece no longo trabalhado em tricô de ráfia, com brilho, usado com bodie exatamente no mesmo tom.

Os variados tons de azul  casam com diferentes cores em detalhes, mix ou sobreposição de peças – e Yves Saint Laurent continua sendo uma referência criativa dessa mistura, muito além da célebre série Mondrian. As possibilidades do blue vão dos looks luxuosos e requintados de festa à camisaria de shape masculino. O mais clarinho substitui em estilo a clássica branca, como mostrou a grife espanhola 2nd Skin – os estilistas Juan Carlos Fernández e Antonio Burillo, que apostaram em tons claros de nudes perolados e blue, adicionaram camisa + saia rodada e curta. Lindo, jovem e fresch.

 

bluejan_pantone_gucci10

Por A mais B, blue, Cor do Mês: Os acessórios da Gucci, por Alessandro Michele, que é também um talentoso designer de bolsas e sapatos, para criar o clima ‘amo azul’; bolsas em diferentes tons; o óculos em formato gatinho, o sapato sensação da grife mix de romance com rocker, a delicadeza do broche de flor, o anel ring (uma joia desejo) e ballerine, mais no site da maison

 

Reveja e use, de novo, seu blue

Vale apostar em um dos conceitos do slow fashion, criado pela inglesa Kate Fletche. Consumo consciente também pela origem e como a peça foi confeccionada, incluindo uso de tecidos produzidos com técnicas menos poluentes e muita imaginação para vasculhar o closet com um reveja e use de novo. Os looks dessa edição são inspirações em blue, que revelam também shapes, modelagens, tecidos, misturinhas e a criação de estilistas e grifes. Quem tem um modelo azul no closet pode atualizar a produção com acessórios da temporada. Sapatos e bolsas acessas em amarelo e verde, como no desfile Boss, saltos altíssimos em plataforma ou stiletto, slides, tênis, rasteiras color ou em tons discretos. Criar o próprio styling – aquela combinação de peças única – é transformar a roupa em você. Experimentar e brincar faz parte do imaginário feminino. Quem, não?

 

#poramaisb – #bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Moda

Por A mais B, blue, Cor do Mês: Looks Acnes Studio (Paris, Fotosite) e Donna Karan (NY, Fotosite)
« 1 de 16 »