Black and white nas passarelas do SPFWn43; confira nossos eleitos; inverno 2017

trend_spfw43_post1_black_lab1

Por A mais B: O preto em contraste de texturas, brilho e clima street do inverno 2017 da LAB (SPFWn43, Fotosite)

Beth Barra

Com quase todas as grifes aderindo ao see now, by now – que permite compras imediatas de itens selecionadas – o SFFWn43 levou para as passarelas coleções do inverno 2017. Os looks da semana paulistana começam a chegar à araras  entre março e abril e o veja agora, compre agora, mais institucionalizado nessa edição, cria fluxos de consumo e desejos instantâneos. No caldo fashion de silhuetas, modelagens, inspirações, cores e estampas da nova temporada Por A mais B passeia pelos looks em preto, branco e off white.

Preto, branco e off white foram eleitos ora como protagonistas; ora como looks de resistência das coleções. Eles surgiram em produções de peças contrastantes como casaco oversized em moletom + t shirt + saia de tule nas criações street da LAB, dos rappers Emicida e Evandro Fióti. A grife, com direção criativa do estilista João Pimenta, trabalhou o tema Herança – inspirada na história do samba, na cultura das ruas, danças e os antigos bailes. Daí também os looks em alfaiataria, que surgiram no black + risca de giz em ternos e a beleza das jaquetas bordadas com paetês formando pontos de brilho.

Da LAB e sua coleção anticonvencional celebrando o samba aos vestidos sensuais em preto de À La Garçonne, de Fábio de Souza, que participa das pesquisas e temas das coleções, com direção criativa de Alexandre Herchcovitch. Com o terceiro desfile na passarela paulistana, e completando um ano de lançamento, a marca mantém o conceito de objetos vintage da store que abriga a grife. Looks com inspirações no boxe, o mix sport + rua + retrô, casacos e itens no verde oliva, xadrez, mix and match – mas foram os dresses, corsets em renda, transparências, seda, couro, plissados e decotes das mulheres de preto que levaram o designer a criações que revisitam clubber, fetiche, sexy and sexy em silhuetas alongadas. Contrastes: a delicadeza dos tecidos envolvidas por jaquetas em leather e os coturnos + botas pesadas, parceria da label  com a Hardcore Footwear.

As coleções LAB e À La Garçonne foram o tempero street e sensual dos pretos que pontuaram o SPFWn43. Mas teve muito mais nas edições em black para o inverno 2017. Marcas como Apartamento 03, Alexandrine, Lilly Sarti, a estreante TIG, Osklen, Ellus, Animale, Ratier trabalharam looks que revelam a pluraridade de silhuetas, modelagens, tecidos, formas e volumes do noir.

Alfaiataria em calças, ternos, tops, paletós, vestidos diáfanos ou estruturados, silhueta alongada ou com volumes, mangas trabalhadas, decotes, cintura marcada, comprimentos curto, midi, longuete. Mais brilho, lurex, veludo, paetês, couro, seda, tafetá, musselines, lã, algodão, tricô, detalhes de renda, contrastes de textura. O preto em edições diversas: sensuais, lady, clean na modelagem, dando movimento à peça. O pretinho – básico, chique, glamour, utilitário – que desde o modelito ícone de Chanel, lançado em 1926, revela a cada temporada de lançamentos que entre cores acessas, suaves, estampas, continua sendo mais do que curinga – é o crème de la crème da moda e com data longa de validade.

Na galeria, nossos ‘pretinhos’ em edição in  ♥ love

Por A mais B, deu black: Looks Ratier (SPFWn43, Fotosite)
« 1 de 12 »

 

Branco ilumina a estação

Deu branco no inverno 2017 – das botas e coturnos que encheram as passarelas aos looks também em off white, como as produções da A. Niemeyer com sobreposições, tricô em efeito de jacquard, jogos de texturas. A grife trabalhou uma alfaiataria leve combinada a transparências e vestidos e saias de silhuetas alongadas. Peças despojadas ou sofisticadas, que podem ser misturadas – criando novos jeitos de usar cada item. O seu.

Por A mais B: Passarela de Juliana Jabour no inverno 2017 e o pull chic + oversidez que a gente (SPFWn43, Fotosite)

Na passarela de Juliana Jabour destaque também para o contraste de textura nos looks em branco. A estilista lançou seu inverno 2017 com inspiração no motocross; daí grafismo, listras e muito black and white. Peças leves como saia trabalhada com transparência, rendas e silhueta sem volumes e um esporte chique como o moletom oversized com mangas volumosas e uma cascata de babados. Uma das peças uauuuu da coleção. Mais: Lino Villaventura entre os dourados, pretos, sedas e veludos apresentou um vestido capa diáfano, lindo e multiuso mixando alfaiataria e fluidez.

O branco do inverno 2017 misturou-se também ao off white, aquele sujinho que andava meio esquecido. O resultado são looks de amplo uso – dia e noite, de rasteira ou coturno, sapatos oxford, slider (sim, eles não precisam ser guardados). Mais volumes em camisas nada básicas como a da Two Denim; terninhos em dueto com preto transparente (UMA), vestidos mais amplos ou sihueta em evidência em style fada moderna (Osklen). Para quem adora um branquelo, mas prefere trabalhar a peça com o preto, camisas e tops são um investimento, especialmente se o item eleito for trabalhado em técnica de alfaiataria. Ou um tricô max: longo e sequinho ou com volume.

#poramaisb – #bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Moda

Na galeria, nossos ‘branquinhos’ em edição in ♥   love

Por A mais B, deu banco e off white: À La Garçonne (SPFWn43, Fotosite)
« 1 de 8 »