Focus estreia em BH o espetáculo Trupe

000000_foucus_cia_de_danca_post_abrePor A mais B: Com 20 minutos de duração, Cia de Dança Focus estreia em Belo Horizonte o espetáculo Trupe, dias 24 e 25 de março, com o desafio de apresentações onde o palco é a rua e a paisagem urbana um cenário vivo (Bruno Veiga/Divulgação)

A Focus Cia de Dança faz a estreia nacional do espetáculo Trupe com três apresentações em espaços públicos de Belo Horizonte, nos dias 24 e 25 de março. O grupo carioca, nesse novo trabalho, faz também uma homenagem ao teatro de rua e aos coletivos mambembes, universos ricos em manifestações culturais, com figurinos que remetem um pouco aos traços circenses e burlescos, explorando-os como complementos dos corpos dos bailarinos para expurgar o esvaziamento da alegria que os artistas podem passar.

Com Trupe, a companhia de dança carioca enfrenta o desafio, o enfrentamento e as limitações físicas de construir uma apresentação em pisos instáveis e rígidos como o solo das ruas, transformando avenidas e calçadas em espécies de tablados, usando a paisagem urbana como cenário vivo para a cena. Apresentação faz parte das comemorações dos 50 anos da Petrobras em Minas.

“Esse espetáculo, assim como qualquer estreia artística hoje no Brasil, é um sinal de persistência e coragem. Viver da cultura em nosso país está se tornando uma tarefa desafiadora e graças a Petrobras, a Focus Cia de Dança tem o privilégio de ter um trabalho continuado, sinônimo de excelência e e  qualidade”, diz Alex Neoral, Diretor, Fundador e Coreógrafo da companhia.

A apresentação se inicia com uma ideia de cortejo, formado por oito bailarinos, que se deslocam coletivamente apresentando a coreografia até um ponto específico da praça onde se intensifica a movimentação em cena. Assim, procura-se demonstrar a ideia de que o coletivo de artistas possui o objetivo comum de levar a arte ao espectador de maneiras variadas.

A segunda parte se desenvolve naturalmente ao longo da apresentação trazendo questões relacionadas à alegria e a crueldade existente num possível bloqueio criativo e perda da inspiração que um artista pode sofrer, provocando o público a desenvolver sua própria leitura a partir das tentativas dos artistas e, consequentemente, dos dançarinos em cena.

SERVIÇO

24/03 – Sábado
12h – Praça da Liberdade
16h  – Praça da Liberdade
A apresentação terá início na Alameda Central e segue até o coreto.

25/03 – domingo
11h – Parque Municipal
A apresentação terá início na área aberta em frente ao Teatro Francisco Nunes e segue até a Praça do Trenzinho

#bethbarra – jornalista Beth Barra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Cult

Categoria: Cult