Inspirations In♥Love de cabeça feita com chapéus, boinas, bonés e gorros

bones_e_tais_post1_versacePor A mais B, Inspirations In♥Love: Gorros de lã e salto alto no inverno Versace (Milão, Reproduções)

Beth Barra

Um imaginário entre andrógino e romântico; sensual e sofisticado envolvem mulheres e chapéus de todos os tipos, especialmente modelos clássicos como Cloche, Fedora e Trilby – os dois últimos originalmente masculinos, ganharam versões femininas. No inverno 2017, os ‘hats’, menos usais entre as brasileiras, surgiram em diversas passarelas internacionais, assim como os celebrados e urbaníssimos bonés e boinas. Os gorros de lã, queridinhos, jovens e street, apareceram em looks de requinte despojado na coleção Hermès (fall 2018). Ou mais cheios e inscrições bordadas na dobra, como power e love, na Versace, acompanhando sobretudos, pulls oversized, saias fluidas, casacos de couro em produções mixando tomboy e salto alto. Na temporada do frio, Inspirations In♥Love do Por A mais B passeia pelo lifestyle de cabeças cobertas; ora aquecendo; ora criando efeitos que vão de divas modernas a garotas flertando com o mundo.

Chapéus, boinas, gorros e bonés exigem um gosto muito pessoal quando adotados. Eles podem esconder parte do rosto, remetendo ao charme misterioso das divas do cinema e seus cloches, ou criar um style despojado com as abas dos cap cobrindo a testa. Os gorrinhos de lã revelam os traços e mesmo em looks que brincam com sofisticação e despojamento pedem peles iluminadas e make natural ou sexy no batom vermelho.

No fall 2018 de Maria Grazia Chiuri para a Dior, ela criou uma coleção protagonizada por tons de azul sofisticados e preto, do jeans ao veludo, e muitas boinas em couro. Efeito, sofisticado e cool nos looks que são, sim, uma inspiração; assim como os modelos requintados de chapéus e boinas arquitetônicas que vieram da passarela de Simon Porte Jacquemus e sua grife Jacquemus. O designer, que em 2016 ganhou 2º Prêmio Jovens Estilistas LVMH, anda balançando Paris com sua alfaiataria ‘diva moderna’ de casacos, paletós, sobretudos e ternos com mangas e golas engenhosamente construídas e modelagens perfeitas.

bones_e_tais_post2_diorPor A mais B, Inspirations In♥Love: Boinas em couro no fall 2018 Dior por Maria Grazia Chiuri (Paris, reproduções)

A Prada também cobriu muitas cabeças no seu inverno 2018. A grife italiana colocou em sua passarela bonés de design arrojado em materiais diversos em looks sofisticados, um elemento de origem esportiva que ganhou requinte e lifestyle.  Inspirations In♥Love caiu de amores também pela coleção “Respect” de Marc Jacobs, ovacionada por sua leitura e homenagem  autêntica ao hip hop, cultura e movimento iniciados nos anos 70, à margem do sistema, que nos 90 foi apropriada pela moda. Entre jaquetas de veludo e lã, saias curtas, casacos adornados por peles, pulls over, botas plataforma surgiram os bonés armados e os chapéus de inspiração cloche cobrindo parte do rosto.

Por aqui, Reinaldo Lourenço em sua coleção cruise, fez do bonês elementos chave em looks românticos nos florais, casuais nas produções esportivas e despojados com sobretudos e calças – como o dueto em amarelo. Um dos mestres do estilismo brasileiro revelando como um acessório enche de graça e estilo a produção. Do outro lado do mundo, em Milão, os caps fizeram as cabeças e a coleção da MSMG, de Massimo Giorgett (ex-Emilio Pucci) – com o M dominando a aba e styling entre saias levíssimas + moletons; renda + alfaiataria; tricôs e jeans.

bones_e_tais_post10_le_lis_blancCABEÇA FEITA

Gorro – Ideal que seja de lã em tramas artesanais ou tecnológicas. Coloridos ou em tons sóbrios cresceram e apareceram nos anos 60 e 70, adotados por skatistas e também esquiadores. No Brasil o gorro de lã também tornou-se parte do look de universitários no período e mesmo entrando e saindo de trens das temporadas de moda, é do tipo que quase todo mundo guarda um no armário. Os artesanais, em mãos hábeis e criativas de tricoteiras, são queridinhos de homens e mulheres em tons candy, acessos, detalhes femininos ou genderless, adotado por homens e mulheres; girls and boys (Na imagem, gorro de lã Le Lis Blanc na Shop2gether)

Boné – O modelo original é uma viagem no tempo e remete aos jogos de beisebol ainda no século 19. As abas foram adotadas nos 30 e seu uso se popularizou, e foi parar também na cabeça de caminhoneiros, migrou para a música, ganhou charme extra em 2003 com o bonitão Ashton Kutcher em seu late show Punk’d, escondeu rostos de famosos dos paparazzi e há muito frequenta as passarelas de moda

bones_e_tais_post11_bonnieFedora – O nome é uma referência à peça teatral francesa Fédora, de 1882. A protagonista tinha esse nome e usava o modelo. Nos anos 40, era usado por homens, de jornalistas a atores de cinema. Mas as versões mais femininas, de formato menor, migraram o Fedora para o guarda-roupa das mulheres. O original tem aba estreita, frente dobrada e vinco na copa.

Boina – Na décadas de 30 e 40, atrizes como Lauren Bacall, Bette Davis e Greta Garbo levaram sofisticação feminina às boinas de feltro, que tinham padrão militar. Mas permaneçam também no imaginário sendo usadas por pintores franceses no boêmio Montmartre. No cinema Faye Dunaway, em e Bonnie & Clyde (de Arthur Penn,967), inspirou as mulheres a adotarem o modelo de sua pistoleira romântica e violenta dos anos trinta (Faye Dunaway e a icônica boina usada por sua personagem Bonnie – reprodução)

Cloche – Nos anos 20, tornou-se um dos chapéus mais usados pelas mulheres. Pequeno, delicado, charmoso, ele deve ser perfeitamente confeccionado para se ajustar à cabeça. Geralmente cobre a nuca e pode ser puxado para a testa. Outro detalhe é que o Cloche pode ou não ter aba, assim como fitas de gorgurão ou veludo. Greta Garbo o transformou em ícone levando as mulheres a aderir ao charmoso cat

bones_e_tais_post9a_greta_garboPor A mais B,  Inspirations In♥Love: Greta Garbo, a diva das boinas e chapéus do cinemão (Reproduções)

Trilby – A aba é mais estreita que o tradicional Fedora e foi adotado por músicos de jazz e e mais tarde algumas musas do pop.

Panamá – Palha de tequila trançada é o material do chapéu original, com copa grande e amassada. Atores de filmes do início do século 20, quando deveriam aparecer elegantes em cena, geralmente ostentavam um modelo.

Onde – Em Belo Horizonte, a Casa Cabana, fundada em 1952 pelo libanês  Elias Ishac Joukhadar ainda é a melhor chapelaria da capital. Com loja na Avenida Olegário Maciel, é uma das poucas onde pode-se encontrar chapéus de todos os tipos; do Fedora ao Cloche, Panamá e mil outros modelos

#bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Inspirations In Love

bones_e_tais_post3_pradaPor A mais B, Inspirations In♥Love: Bonês arquitetônicos e sofisticados do inverno Prada (Milão, Reproduções)

bones_e_tais_post4a_jacquemusPor A mais B, Inspirations In♥Love: Chapéus e boinas de Simon Porte Jacquemus para sua grife Jacquemus; o jovem designer anda balançando Paris com suas criações em alfaiataria arquitetônica, requintada, contemporânea e modelagens perfeitas (Paris, Reproduções)

bones_e_tais_post5_marc_jacobsPor A mais B, Inspirations In♥Love: Bonés armados e chapéus em  “Respect”, inverno Marc Jacobs, uma referência e homenagem ao hip hop, que surgiu nos anos 70 à margem do sistema (NY, Reproduções)

bones_e_tais_post6a_hermesPor A mais B, Inspirations In♥Love: Os gorros em edição tradicional (e lindos) do inverno Hermès (Paris, Reproduções)

bones_e_tais_post7_msmgPor A mais B, Inspirations In♥Love: Bonés únicos, looks diversos da MSMG, de Massimo Giorgett em mood logomarca na aba (Milão, Reproduções)

bones_e_tais_post8_reinaldo_lourencoPor A mais B, Inspirations In♥Love: Bonés com o lifestyle de Reinaldo Lourenço em sua coleção cruise (Fotosite)

Categoria: Moda e Acessórios