Luz de PC, tablet e celular pode causar fotoenvelhecimento e manchas; cuide de sua pele

000000_luz_visivel_pele_post1_eveline_bartelsPor A mais B: A dermatologista Eveline Bartels alerta sobre os efeitos da luz visível, emitida também por PCs, tablets e smartphones, e como enfrentar a vilã dos tempos modernos, que pode causar manchas e fotoenvelhecimento  (Foto: Clínica EB)

Beth Barra

A necessidade de proteger rosto e corpo da radiação solar é o ‘abc’ básico para garantir a saúde e também beleza da pele. Mas a luz visível, emitida também por PCs, tablets e smartphones, é uma inimiga com o poder de causar manchas e envelhecimento precoce. Por A mais B conversou com a dermatologista Eveline Bartels sobre os efeitos nocivos dessa luz, popularmente chamada ‘blue ligth’, que vem da tela dos eletrônicos. “O único filtro eficaz contra a luz visível é o físico, que cria uma barreira e forma um escudo protetor”, explica a médica, observando que ele dever ser aplicado a cada duas horas, mesmo sobre a maquiagem.

Para as high tech de carteirinha, que não desgrudam de seus queridinhos, seja trabalhando ou navegando nas redes sociais, o ritual diário de aplicação do filtro físico pode evitar as temidas manchas e o fotoenvelhecimento precoce. Eveline Baltels, que é especialista em Dermatologia Estética, membro da Sociedade Brasileira de Laser e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, lembra que essa rotina inclui uso de protetor solar até em dias de chuva, e vai além da batalha contra os efeitos nocivos da luz visível. “Apesar da quantidade de radiação ultravioleta (UVB) variar muitos nos dias nublados, a emissão de radiação UVA (ultravioleta A) ainda é alta”, diz a médica, alertando, também, para a prevenção do câncer de pele.

 

“Luz visível é toda claridade que você vê. Toda claridade é luz visível. O sol emite luz visível, além de radiação ultravioleta. Os ambientes internos também, as lâmpadas, também, os tablets também. Luz visível é a luz que nós enxergamos” (Dermatologista Eveline Bartels)

 

O que é a chamada ‘luz azul’, que vem das telas de notebooks e PCs e quais seus efeitos sobre a pele?
A luz azul encontra-se no espectro da luz visível, aquela visível ao olho humano – do sol, das lâmpadas artificiais, das telas de PC, tablets, celulares – e que fisicamente tem um comprimento de onda entre 400 e 760 namômetros (*). Seus efeitos incluem inflamação, produção de radicais livres, que são fatores determinantes do envelhecimento, e pigmentação da superfície da pele com aparecimento de manchas ou aumento das mesmas. Portanto, a luz de tablets e celulares também pode danificar a pele, porque emite luz visível. Mas é bom destacar que não foi cientificamente comprovado que equipamentos eletrônicos, ou mesmo lâmpadas, emitam radiações ultravioleta, que causam câncer de pele.

(*) Namômetro é uma medida de comprimento de onda de luz

A ‘luz visível’ atinge somente a camada superficial da pele?
Pode atingir camadas mais profundas da pele, onde estão as células produtoras de colágeno, dependendo de sua intensidade

Peles morenas e negras são mais suscetíveis à luz das telas?
São mais suscetíveis à luz visível e podem sofrer mais danos em relação a peles claras, tanto inflamatórios como pigmentares. Os melanócitos, células que produzem os pigmentos, em peles morena ou negra reagem mais intensamente aos efeitos da luz visível, que ficam mais expostas a manchas e inflamações. Ao contrário do que se costumar imaginar as peles mais brancas são menos reativas à essa luz por conterem menos melanina.

Peles sensíveis, ou que passaram por tratamentos recentes, são mais prejudicadas pela luz visível?
Elas são mais prejudicadas, porque todas as células estão reativas em peles sensibilizadas. Principalmente as células que produzem pigmentos e manchas.

000000_luz_visivel_pele_post2Qual o filtro mais indicado para a proteção do rosto contra o efeito da luz visível? E a frequência de aplicação?
O único filtro eficaz contra a luz visível é o físico, que cria uma barreira contra essa luz, formando um escudo. Quando aplicado não deve ser espalhado até desaparecer, deve ficar ‘visível para não perder seu efeito bloqueador. Uma camada de maquiagem, após a aplicação, como base ou BBCream (coloridos), protege ainda mais a pele formando um filme que ajuda a filtrar a luz. O protetor deve ser reaplicado de duas em duas horas, mesmo sobre a maquiagem.

Que tipo de proteção os filtros físicos oferecem e principais componentes da fórmula?
Eles oferecem uma proteção que forma uma barreira contra a luz visível e seus principais componentes são dióxido de titânio e óxido de zinco. Eles devem ficar mais visíveis sobre a pele após a aplicação; existem os brancos e os tonalizantes.

Como os filtros químicos atuam?
Os filtros químicos contêm substâncias que combinam quimicamente com a superfície da pele, refletem e espalham a luz, reduzindo a absorção. Podem ser contraindicados a peles alérgicas, pois sua formulação é mais alérgica do que a dos filtros físicos, deve ser evitado também ser usado por idosos e em bebês.

Filtros com a indicação de que minimizam riscos de pigmentação, e uniformizam a pele, por serem dourados ou coloridos, têm essa proteção poderosa?
Sim, por serem coloridos eles têm o efeito de proteção de barreira maior e, por isso, conferem mais proteção. E o efeito de uniformização, sem ser maquiagem, vem da associação de clareadores na própria fórmula do protetor, como a Vitamina C por exemplo.

O que são parabenos e como eles podem prejudicar a pele?
Parabenos são um dos conservantes mais comuns, que protegem o produto contra a proliferação de fungos e bactérias. Mas, ao mesmo tempo, são muito sensibilizantes, ou seja, têm o poder de causar alergia à pele.

Quais as diferenças entre protetores específicos para o rosto e indicados para todo o corpo?
Normalmente a diferença é cosmética, porque quando se opta por um protetor facial ele pode ser com cor. A textura da pele do rosto possui também mais glândulas sebáceas (que produzem gordura) do que o restante do corpo. Por isso, os filtros faciais tendem a ser mais secos. Mas se o filtro corporal possuir algum ativo hidratante na formulação também é bem-vindo.

Manchas causadas pela exposição diária à luz visível são diferentes daquelas da exposição ao sol sem proteção? Elas também podem levar ao desenvolvimento do câncer de pele?
A radiação emitida pela luz solar é sempre maior em comparação com a da luz visível. É importante destacar que a exposição frequente ao longo da vida, sem proteção, causa danos cumulativos piores do que exposições solares rápidas e pouco frequentes. Ainda não existem estudos científicos comprovando que a luz visível provoca câncer de pele, pois ela não emite radiação ultravioleta.

É recomendado o uso do filtro à noite, antes de dormir, especialmente quando se costuma ler à luz de abajur?
Essa recomendação é importante para peles morenas, que têm mais tendência a manchas, como melasmas. Mas, uma vez que não foi comprovada a emissão de radiação ultravioleta pelas lâmpadas ou dispositivos eletrônicos, o filtro químico não tem efeito protetor contra a luz visível. A opção deve ser pelo filtro físico, que forma uma barreira impedindo a absorção da luz.

000000_luz_visivel_pele_post3Existem tratamentos específicos para os efeitos da luz visível?
Os tratamentos para reparar possíveis danos da luz visível podem ser os mesmos adotados na rotina dermatológica para rejuvenescimento e clareamento da pele. Os mais modernos, atualmente, incluem laser e cremes de uso diário com nanotecnologia, que promovem uma absorção mais eficaz. Além do peeling e produtos que estimulam a produção de colágeno – como ácido polilático (sculptra) e os fios de sustentação (sutura silhouette).

Filtro solar até em dias de chuva?
Sim, porque apesar da quantidade de radiação ultravioleta (UVB) variar muito nos dias nublados, a emissão de radiação UVA (ultravioleta A) ainda é alta.

Na rotina de cuidados da pele: limpar, tonificar, hidratar. O protetor deve ser usado após esses passos?
O protetor deve ser usado após a limpeza, tonificação e hidratação, e antes da maquiagem, de BBcreams à base e iluminadores. Mas o ideal é o intervalo de pelo menos um minuto entre a aplicação do filtro e os produtos de make. Eles nunca devem ser misturados, pois podem reduzir o fator de proteção do filtro.

 

Saiba mais sobre as radiações solares
UVC (bloqueada pela camada de ozônio) – Comprimento de onda até 200 e 290 namômetros
UVA – Comprimento de onda mais longo, entre 290 e 400 namômetros e sua intensidade pouco varia ao longo do dia
UVB – Comprimento de onda mais curto, entre 290 e 320 nanômetros, e é mais intensa entre as 10 e 16 horas. Os raios UVB são os principais responsáveis por queimaduras, vermelhidão e câncer de pele

 

#poramaisb – #bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Beleza

Categoria: Beleza