O universo fashion, da criação à sustentabilidade, no primeiro Festival Internacional de Documentários de Moda

0000_moda_post1_first_mondayPor A mais B: Cena de The First Monday in May, do cineasta Andrew Rossi, que revela bastidores da edição 2015 do Baile Gala do MET, no Festival Internacional de Documentários de Moda (Divulgação)

Beth Barra

Treze títulos nacionais e internacionais de variados temas, entre eles o clássico Model (1980), de Frederick Wiseman, ganhador de um Oscar e um Leão de Ouro no primeiro Feed Dog Brasil (Festival Internacional de Documentários de Moda), em uma programação gratuita, que inclui a exposição “Universo Feed Dog pelo Olhar Fotosite”, ciclos de palestras, debates + oficinas. O universo fashion em todas as suas vertentes – criação, sustentabilidade, arte, comportamento e cultura nesse cardápio de atrações, que vai de 21 a 27 de setembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

O primeiro Feed Dog Brasil terá noite de abertura para convidados no dia 20, às 19h30, com a exibição de The First Monday in May, inédito no Brasil, dirigido por Andrew Rossi. O documentário desvenda um dos grandes eventos de moda e celebridades do planeta – o Baile de Gala do MET, que acontece todo ano no The Metropolitan Museum of Art, em Nova York. O filme sobre um dos red carpets mais concorridos da Big Apple acompanha os bastidores da edição de 2015, idealizada por Andrew Bolton, diretor do departamento de moda do museu (The Costume Institute) e Anna Wintour, editora da Vogue América. O tema daquele ano foi “China: Through the Looking Glass”, um olhar sobre a moda e os criadores chineses e também sua influência sobre o cinema.

Em The First Monday in May, que também terá sessão aberta ao público, o cineasta Andrew Rossi mostra detalhes da organização e produção do Baile do MET/2015 como orçamentos, viagens de pesquisa e contatos à China e a escolha de peças para a exposição no The Metropolitan Museum of Art. O documentário inclui depoimentos de criadores como John Galliano, Jean Paul Gaultier e Karl Lagerfeld sobre o evento, que além de reunir atores, modelos, celebridades, socialites, arrecada verbas para o acervo do museu – em 2015 foram obtidos US$ 12,5 milhões.

Confira alguns dos documentários do primeiro Feed Dog Brasil (*)

0000_moda_post2_modelPor A mais B: O clássico Model (1980), de Frederick Wiseman, rodado em p&B, revela os bastidores de uma agência de modelos (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Model, de Frederick Wiseman, tornou-se um clássico de um dos maiores documentaristas da história, hoje com 87 anos de iade. O filme, de 1980, rodados em preto e branco, revela os bastidores de uma agência de modelos do Upper East Side de Manhattan. Esse universo fascinante do mundo fashion, com a direção precisa do cineasta, que em 2016 recebeu um Oscar Honorário por seus trabalhos, leva o espectador à era das tops do período. Suas lentes revelam os testes, o rigor dos padrões exigidos para a passarela, os ensaios fotográficos, a jornada exaustiva e a uma luta por um portfólio que levaria ao estrelato na profissão. Competição e solidão são também dois componentes focados pelo diretor.

0000_moda_post3_borsalino_redfordPor A mais B: Robert Redford, que comprou o chapéu original usado por Mastroianni em La Dolce Vita, em cena de Borsalino City, de Enrica Viola (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Uma declaração de amor a um dos ícones da moda, o chapéu Borsalino, em Borsalino City (2015), documentário de Enrica Viola que conta a história de Giusppe Borsalino, seu criador, e de sua empresa, que foi uma das maiores da Itália. Astros como Humprey Bogart, que o usou no clássico Casablanca, tornou o item famoso em todo o mundo. A diretora também investiga como o chapéu faz parte da história da moda e do cinema e aborda desde sua presença nos primeiros filmes realizados pelos irmãos Lumière (século 19) até a atualidade. Ela inclui o acessório sempre presente nos figurinos dos filmes de gangster e de ícones como Alain Delon, Jean Paul Belmondo, Charlie Chaplin, Leonardo Di Caprio. Robert Redford conta como conseguiu comprar o histórico Borsalino que Marcello Mastroianni usou em La Dolce Vita, de Federico Fellini. Ele foi criado especialmente para o ator compor seu repórter no longa e hoje a preciosidade é usada por Redford, fã confesso dos chapéus de Giuseppe.

0000_moda_post4_out_fashionPor A mais B: Em Out of Fashion os diretores Jaak Kilmi e Lennart Laberenz focam os desperdícios, os impactos ambientais e uma cadeia produtiva nada sustentável no mundo da moda (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Jaak Kilmi e Lennart Laberenz revelam o desperdício e os impactos ambientais e sociais da indústria da moda em Out of Fashion (2015). Os dois diretores mostram a jornada do estilista Reet Aus, e é por meio dela que são revelados o lado cruel da moda. Um jeans comprado em uma loja na Europa contém não só produtos tóxicos em sua composição, mas carrega também um histórico de desperdício, agressões ao meio ambiente e uma cadeia produtiva nada sustentável. Reet há mais de 15 anos possui uma grife e trabalha com upcycling, fazendo de resíduos materiais que a indústria joga fora sua matéria-prima, tem um plano. Ela quer convencer as grandes corporações a também trabalhar com o upcycling e reduzir o desperdício no mundo. O designer viaja desde a Estônia, onde vive, até Bangladesh, onde visita a confecção que fabricou a calça jeans comprada em um país europeu.

0000_moda_post5_testament_alexander_mc_queenPor A mais B: Outro documentário inédito no Brasil, Le Testament d’Alexander McQueen, de Loic Prigent, mostra a trajetória e a genialidade do designer londrino, morto em 2010 (Feed Dog Brasil, Divulgação)

A história e as criações instigantes e provocativas de um dos mais geniais estilistas ingleses de sua geração no documentário Le Testament d’Alexander McQueen (2015), de Loic Prigent. Sua trajetória brilhante e seu trabalho único foram tão impactantes para a história da moda contemporânea quanto seu suicídio, em fevereiro de 2010. Mas seu legado permanece, influenciando gerações de artistas e estilistas. McQueen cresceu no subúrbio de Londres e soube como ninguém aliar suas memórias de uma infância simples aos grandes símbolos e referências da arte no mundo fashion.

0000_moda_post14_vivienneVivienne Westwood: Do It Yourself! (2010)

O documentário de Letmiya Sztalryd, conta uma pequena parte da história da estilista Vivienne Westwood, a inglesa que continua inventando e revolucionando a moda aos 76 ano de idade. Dos anos 1970, quando se tornou uma das grandes mentes criativas do movimento punk, ao lado do então companheiro  Malcolm McLaren, do Sex Pistols, até se tornar um ícone fashion. Além de seguir a designer e Andreas Kronthaler, seu marido e braço direito e diretor criativo da marca, com os preparativos para o lançamento da coleção Do It Yourself, o filme também mostra cenas exclusivas da vida de Vivienne.Uma trajetória singular da mulher que também é ativista ambiental e política, enfrentou a pobreza, criou praticamente sozinha os dois filhos e transformou sua marca em uma das mais poderosas da Inglaterra.

0000_moda_post6_perfect_fitPor A mais B: Uma história delicada e terna do mundo do balé em The Perfect Fit, que acompanha um sapateiro apaixonado pelo ofício e mostra a conexão de dois personagens que não se conhecem, conectados por um par de sapatilhas (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Um sapateiro, que confecciona sapatilhas artesanalmente, revela com seu olhar único o mundo do balé profissional em The Perfect Fit (2012), de Tali Yankelevich. Um profissional apaixonado por seu ofício, que em cada sapatilha tenta aliviar as dores das bailarinas. Um filme terno e que em seu cenário mostra o universo de dois personagens que não se conhecem, mas estão conectados por um par de sapatos. O documentário foi pré-finalista do Oscar em 2013.

0000_moda_post7_mapplethorpePor A mais B: O documentário Mapplethorpe: Look At The Pictures, de Fenton Bailey e Randy Barbato, mostra o trabalho, a vida, as polêmicas, o erotismo fotógrafo Robert Mapplethorpe, um dos mais importantes nomes da fotografia em todo o mundo (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Mapplethorpe: Look At The Pictures (2016), de Fenton Bailey e Randy Barbato, é uma análise do trabalho do fotógrafo Robert Mapplethorpe, um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20. Ele quebrou paradigmas e levou a fotografia ao patamar de arte, integrando coleções de museus como o Guggenheim Museum de Nova York. Em 1998, quase uma década após sua morte, seu acervo foi avaliado em US$ 228 milhões. Os diretores mostram os muitos processos de reinvenção do artista e sua vida pessoal de altos e baixos, polêmica, sexo, amor, erotismo, arte, som, ousadia, excessos, beleza e dificuldades.

0000_moda_post8_bangaologiaPor A mais B: O diretor angolano Coréon Dú e seu olhar autêntico e multifacetado sobre a cultura, a vestimenta e a moda africanas em Bangaologia – The Science of Style (Feed Dog Brasil, Divulgação)

O angolano Coréon Dú lançou Bangaologia – The Science of Style em 2016. O documentário um colorido panorama da Bangaologia, suas origens, sua influência na moda e no estilo do mundo contemporâneo, que extrapola os limites de sua África natal e ganha adeptos na Europa, nos Estados Unidos e em outros continentes. Como diz um dos entrevistados do longa, “Um Bangão é sempre Bangão.” Mas o que é ser um Bangão? O que é a energia, a essência e o ingrediente africano que inspiram tanto criadores de arte, de moda e estilo quanto músicos e apaixonados pela Banga? Além de buscar respostas, o diretor quebra conceitos estabelecidos sobre a cultura e a moda africanas com um olhar autêntico e multifacetado.

0000_moda_post9_deixa_reguaPor a A mais B: A rotina das barbearias da Zona Norte do Rio e como os jovens brasileiro de hoje se relacionam com a beleza, a moda, a vaidade em Deixa na Régua, de Emílio Domingos (Feed Dog Brasil, Divulgação)

Deixa na Régua integra o cardápio de documentários nacionais do festival. O filme de Emílio Domingos acompanha a rotina das barbearias da Zona Norte do Rio de Janeiro e revela como o novo jovem brasileiro se relaciona com a beleza, a moda, a vaidade. Passar o dia no salão é um momento importante da vida dos jovens das comunidades cariocas e dos barbeiros Belo (Vila da Penha), Ed ( Morro da Caixa d’Água) e Deivão (Piabetá, Magé), que comandam os trabalhos e criam os mais diversos cortes e desenhos artísticos.

(*) Os 13 títulos ue serão exibidos no Festival Internacional de Documentários de Moda têm curadoria da documentarista e jornalista Flavia Guerra

Exposição “Universo Feed Dog pelo olhar Fotosite”

0000_moda_post10_expo_fotositePor A mais B: Imagens da exposição “Universo Feed Dog pelo olhar Fotosite”, que estará em cartaz durante todo o festival (Feed Dog Brasil, Divulgação)

0000_moda_post13_expo_fotositePor A mais B: Imagens da exposição “Universo Feed Dog pelo olhar Fotosite”, que estará em cartaz durante todo o festival (Feed Dog Brasil, Divulgação)

0000_moda_post12_expo_fotositePor A mais B: Imagens da exposição “Universo Feed Dog pelo olhar Fotosite”, que estará em cartaz durante todo o festival (Feed Dog Brasil, Divulgação)

A jornalista e diretora criativa Jussara Romão, curadora da exposição “Universo Feed Dog pelo olhar Fotosite”, selecionou 40 imagens do acervo digital da Agência Fotosite, entre mais de dois milhões de fotos das passarelas, backstages e das ruas, registradas nos últimos 17 anos. “O conceito de alinhavar cinema com passarela explora a realidade e o lúdico em torno da moda, além de fortalecer os movimentos comportamentais como influenciadores de qualquer forma de arte”, explica ela sobre seu trabalho. A mostra dialoga diretamente com a curadoria do Feed Dog Brasil e com a visão de que a moda se comunica constantemente com as movimentações culturais, sociais, comportamentais e políticas do mundo.

“O convite do fotógrafo Marcelo Soubhia, diretor e sócio do site, me levou a um desafio interessante. A primeira linha de apoio foi que a foto me remetesse ao universo dos documentários que compõem a seleção do Feed Dog Brasil. A imagem que refletisse o universo de um dos documentários, eu escolhia”, conta Jussara Romão.

Debates do Feed Dog Brasil

“Todo Mundo É Fashion – A Moda do Futuro e o Futuro da Moda”, 21 de setembro, 19 horas – As revoluções contemporâneas da moda, desde a quebra de padrões de beleza, comportamento, gênero, estilo, até as novas tendências que celebram a diversidade e a moda de fato para todos. Mediação de Flávia Guerra e mesa com Paulo Borges (SPFW), Daniela Auler (Universidade Anhembi Morumbi), Alberto Hiar (diretor criativo da Cavalera) e Marcella Kanner (diretora de marketing da Riachuelo)

“Sustentabilidade e Responsabilidade Social estão na Moda?”, 22 de setembro, 19 horas – os rumos que a indústria e o mercado da moda têm traçado para criar produtos, meios e métodos de produção socialmente e ambientalmente responsáveis e sustentáveis. O que este movimento traz de mudança tanto para a produção da moda quanto para o estilo? Mediação de Jussara Romão (jornalista e organizadora do Fashion Tech Brasil), particpações de Juliana Lopes (jornalista e professora de moda) e da a consultora Fernanda Ferraz, do Samaúma – Gestão para a Sustentabilidade.

“Cinema e Moda – Muito além do Figurino”, 23 de setembro, 16 horas – Mais que contar com figurinos criados por grandes estilistas, o cinema sempre teve uma relação dinâmica com a moda, seja refletindo e incorporando as tendências e mudanças ocorridas na sociedade, seja também influenciando a própria moda. Participam o professor e historiador de moda João Braga e o estilista, ator, figurinista e diretor Fause Haten. (Na foto, o designer Fause Haten, reprodução).

 

Oficinas no festival

Costura Desconstruída, com Luciana Pareja Norbiato, 22 e 23 de setembro, das 15 às 19h30 (inscrição gratuita no local) – Nessa oficina, Luciana Pareja Norbiato propõe uma nova maneira de criar e pensar o vestuário. Com um pé na sustentabilidade e tendo o upcycling em perspectiva, parte-se de peças industrializadas para ressignificá-las pela costura manual. Ao desmontar e transformar as roupas em uma nova vestimenta, o aluno transforma também seu olhar sobre beleza, funcionalidade e conforto. O modelo industrial é substituído por um vestir autoral e expressivo. Vamos criar roupas com a nossa cara?

O Processo Criativo do Vestir, com a estilista Lena Santana, 22, 23 e 24 de setembro, , das 10 às 17 horas (Inscrição gratuita pelo site) – Moulage é a técnica de criação do molde no próprio manequim, em que o desenho da roupa é construído no espaço tridimensional, para depois ser traduzido em um modelo-piloto. Por meio de exercícios práticos, o aluno vai aprender essa etapa do processo de confecção de vestuário e criar a base de uma peça, que será transposta em uma peça-piloto.

 

Feed Dog Brasil (Festival Internacional de Documentários de Moda) – De 21 a 27 de setembro, na Cinemateca Brasileira (Largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Clementino, São Paulo).No site www.feeddog.com.br a programação completa e inscrições

#poramaisb – #bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Cult

Categoria: Cult