Seis produções que estão chegando ao escurinho do cinema e que você vai querer assistir

lady_macbeth_california_filmes_reproducaoPor A mais B: Florence Pugh, de William Oldroyd, em cena de Lady Macbeth, longa inspirado no romance do russo Nikolai Leskov (Reprodução; Distribuição California Filmes)

Beth Barra

Filmes que tocam o coração, histórias de amor impossíveis, tramas sensuais e misteriosas, o poder das mulheres, ficção científica. Por A mais B selecionou seis produções que começam a ganhar o escurinho do cinema em agosto, começando pelo emocionante e sensível Os Meninos Que Enganavam Nazistas, de Christian Duguay, o intenso, dramático e libertário Lady Mcbeth até Blade Runner 2049, a sequência de O Caçador de Andróides, de 1982, à época um fracasso de bilheteria e só dez anos depois, com o lançamento da versão de Ridley Scott, sem o final feliz do estúdio, foi reconhecido como uma obra-prima do diretor e sua visão de uma Los Angeles superpovoada, iluminada por neon e replicantes sendo perseguidos por humanos.

Certamente, essa ‘continuação’, com direção de Denis Villeneuve, não possui o impacto da produção original, adaptação do livro Do Androids Dream of Electric Sheep?), de Phillip K. Dick. Mas o elenco tem Ryan Gosling (La La Land) e o próprio Harrison Ford na trama, que tenta captar o clima noir anterior misturando história de detetives dos anos 40 ao mundo de um imaginário século 21. Além da produção assinada por Ridley Scott.

Os Meninos Que Enganavam Nazistas

Os Meninos Que Enganavam Nazistas (Un Sac De Billes) – Direção: Christian Duguay. Com Dorian Le Clech (Joseph), Batyste Fleurial (Maurice), Patrick Bruel (Roman), Christian Clavier (Doutor Rosen). Distribuição: Paris Filmes. Estreia: 03 de agosto
Os dramas da Segunda Guerra Mundial são inesgotáveis, mas histórias envolvendo crianças – O Garoto do Pijama Listrado (2008), de Mark Herman, adaptado da obra do irlandês Jhon Boyne, é uma delas – traz o frescor, a ingenuidade, o olhar infantil e no caso de Os Meninos Que Enganavam Nazistas, a coragem, medo e esperteza de Joseph e Maurice Joffo, de 10 e 12 anos. O filme é baseado no livro de memórias de Joseph Joffo, que na telona é também narrador de sua própria história: a dos irmãos que viviam em um pequeno bairro francês com a família. Quando os nazistas invadem o país, Roman, dono de uma barbearia e pai das crianças, decide que eles devem se separar na fuga para Nice. A jornada dos pequenos começa com um mapa, um pouco de dinheiro e a orientação paterna de não confiarem em ninguém, ficarem unidos, mentirem para sobreviver. Uma história emocionante, que envolve coração e cérebro do público pela atuação dos jovens atores, a cumplicidade e humanidade dos personagens de uma vida real. Joseph é uma criança que chora e sente saudade dos pais, mas enfrenta com a ajuda do irmão os desafios de um longo e perigoso percurso, enquanto ambos precisam esquecer de sentir orgulho de serem judeus.

meninos_que_enganavam_nazistas_paris_filmes_reproducaoPor A mais B: Batyste Fleurial (Maurice) e Dorian Le Clech (Joseph) no emocionante Os Meninos Que Enganavam Nazistas (Reprodução; Distribuição: Paris Filmes)

Lady Macbeth

Lady Macbeth (Lady Macbeth)– Direção: William Oldroyd. Com Florence Pugh, Christopher Fairbank, Cosmo Jarvis, Paul Hilton. Distribuição: California Filmes. Estreia: 10 de agosto
Katherine (Florence Pugh) está presa a um casamento sem amor na Inglaterra rural do século 19. O filme, adaptação do romance homônimo de Nikolai Leskov, publicada em 1865, tem roteiro de Alice Birch. Uma bela fotografia e cenas tensas na história da jovem, casada com Alexander(Paul Hilton), e convivendo com um sogro controlador (Christopher Fairbank) num condato ao Norte da Iglaterra. Com as constantes viagens, ela se envolve Sebastian (Cosmo Jarvis), vivendo uma intensa história de amor e sexo com o empregado da fazenda. O livro, considerado uma obra-prima do escritor russo, apresenta a protagonista como uma mulher fria, calculista, entediada e capaz de planejar um assassinato para se livrar da opressão em que vive. O ator remeteu à literatura russa um tema shakesperiano – Lady Macbeth instiga o marido a assassinar o Rei Ducan e se apossar do trono. O diretor William Oldroyd apresenta um filme brilhante no qual Florence Pugh cresce como atriz no desenrolar da trama, passando de quase menina a uma mulher determinada, indomável e disposta a tudo por sua paixão. Um personagem feminista e por vezes assustadora, assim como as mortes e vinganças que permeiam esse grande filme.

lady_macbeth_california_filmes_reproducaoPor A mais B: Cenas de Lady Macbeth, o longa de William Oldroyd, adaptado do livro de Nikolai Leskov, e a história de paixão, desafio e morte envolvendo a jovem Katherine (Reprodução; Distribuição California Filmes)

O Estranho Que Nós Amamos

O Estranho Que Nós Amamos (The Beguiled) – Direção: Sofia Coppola. Com Colin Farrell, Nicole Kidman, Kirsten Dunst, Elle Fanning, Emma Howard, Oona Laurence, Angourice Rice e Addison Riecke. Distribuição: Universal Filmes. Estreia: 10 de agosto
“O Estranho que nós amamos’ deu a Sophia Coppola o prêmio de Melhor Direção em Cannes. O longa, ovacionado na 70ª edição do festival francês, é o remake de 1971, dirigido por Don Siegele, protagonizado por Clint Eastwood e Geraldine Page. O longa é uma adaptação do romance de  Thomas Cullinan, ambientado durante a Guerra Civil. A história de um soldado ferido, que recebe abrigo em um colégio de freiras, e termina criando uma forte tensão sexual entre as mulheres, isoladas do mundo com um homem sedutor e atraente até uma reviravolta trágica. Colin Farrell e Nicole Kidman são os protagonistas da trama em um elenco afinadíssimo.

estranho_que_nos_amamos_universal_reproducaoPor A mais B: Nicole Kidman e Colin Farrell em O Estranho Que Nós Amamos; longa de Sophia Coppola, premiado em Cannes (Reprodução; Distribuição: Universal Filmes)

O Castelo de Vidro

O Castelo de Vidro (The Glass Castle) – Direção:  Destin Cretton. Com Brie Larson, Naomi Watts, Woody Harrelson. Distribuição: Paris Filmes. Estreia: 24 de agosto
Filme baseado no livro de memórias da jornalista Jeannette Walls, lançado em 2005. Ela aborda sua infância nômade e pobre, de cidade em cidade, com os irmãos e o pai alcoólatra (Woody Harrelson vive o patriarca Rex Wall) e uma mãe excêntrica e deprimida (Rose Mary Walls por Naomi Watts). A autora é interpretada por Brie Larson nessa história comovente e sem julgamentos morais. Na obra, a jornalista revive momentos dolorosos e assustadores que sofreu ao lado dos irmãos, mas também lança um olhar carinhoso aos pais, um perdão pelo abandono e miséria. O longa mostra como a vida deles melhora quando se mudam para Nova York e conquistam uma vida mais segura e estável, mas também como essa tranquilidade aparente é convulsionada quando os país resolvem segui-los.

000_filmes_post9_castelo_vidro1Por A mais B: Brie Larson em O Castelo de Vidro, atriz vive Jeannette Walls, no filme adaptado do livro de memórias da jornalista, e sua jornada, e de seus irmãos, na vida nômade e miserável ao lado dos pais (Reprodução; Distribuição: Paris Filmes)

 Atômica

Atômica (Atomic Blond) – Direção: David Leitch. Com Charlize Theron, James McAvoy, Eddie Marsan, Sofia Boutella, Toby Jones, John Goodman. Distribuição: Universal Filmes. Estreia: 31 de agosto
Charlize Theron, 40 anos, Oscar de Melhor Atriz por Monster – Desejo Assassino (2204), ativista pelos direitos da mulher, membro do PETA, talentosa, linda, sexy. Atômica (Atomic Blond), de David Leitch, co-diretor de John Wick, tem roteiro baseado na HQ The Coldest City, ambientado após a queda do Muro de Berlim. Ela é Lorraine Broughton, agente do M16, que precisa descobrir informações envolvendo a Alemanha. Uma espiã que distribui socos, pontapés, arrasa no figurino e encara alguns momentos de vulnerabilidade. Um filme ‘diversão’, imerso em uma estética de violência, humor ácido, muitas cenas de ação sem cortes, fotografia caprichada, trilha sonora pop e uma mulher como protagonista da ação.

atomic_blond_universal_reproducaoPor A mais B: Atômica, de David Leitch, traz Charlize Theron como a agente Lorraine Broughton (Reprodução; Distribuição: Universal Filmes)

Blade Runner 2049

Blade Runner 2049 (Blade Runner 2049) – Direção: Denis Villeneuve. Produção: Ridley Scott. Com Ryan Gosling, Harrison Ford, Ana de Armas. Distribuição: Sony Pictures. Estreia: 05 de outubro
A continuação do cultuado Caçador de Andróides, de Ridley Scott, o filme lançado em 1982, inicialmente histilizado pela crítica e dez anos depois aclamado com a versão do diretor, sem o final feliz do estúdio. O filme é ambientado trinta anos após a história de Blade Runner, que se passa em 2019, com um ex-policial caçando um grupo de replicantes em Los Angeles – a cidade dos anjos vira um cenário sombrio, de chuva ácida, iluminada por néon. Na nova trama, o oficial K (Ryan Gosling) desenterra um segredo de décadas, que pode levar a um novo caos, e ele começa a busca para localizar Rick Deckard (Harrison Ford), o ex-caçador de androides. Os traillers já divulgados revelam cenários futuristas e devastados, ambientes miseráveis e high tech, desérticos e urbanos e ameaças à vida humana envolvendo o lendário caçador e o jovem oficial.

blade_runner_2049_sony_reproducaoPor A mais B: Ryan Gosling e Harrison Ford em Blade Runner 2049, de  Denis Villeneuve, continua a saga do cultuado Caçador de Andróides (Reprodução;  Sony Pictures)

#bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Cult

Categoria: Cult