Contraste entre despojamento e luxo, sensualidade mais alfaiataria; caleidoscópio de cores e estampas no Minas Trend

Inverno 2016, 17ª edição do Minas Trend (Fiemg): look da coleção Mabel Magalhães em edição sensual e sofisticada (Agência Fotosite)

Beth Barra

Dos looks ultrassensuais da Mabel Magalhães, feitos de saias-lápis com fendas e provocante cinta liga à mostra (mais os ternos quero já), às produções despojadas e juvenis do paraense Lino Villaventura, o inverno 2016 do Minas Trend (MW/Fiemg) mostrou um caleidoscópio de propostas nos noves desfiles de lançamento do evento. O preto, na próxima temporada, disputa a cena de protagonista com o estonteante marrom da Vivaz, branco e off white, mais cores fortes e estampas – especialmente no line up da Anne Est Folle, Faven e Lucas Magalhães – que trouxe também sua expertise no tricô, além de peças básicas e multiuso, como trench coat e perfecto em couro, introduzindo o black às criações. Os longuetes e mídis mantêm o lifestyle em modelos ora em silhuetas secas e minimalistas; ora em saias com volumes. Modelitos curtos com um perfume sessentinha também fizeram bonito pela Anne Est Folle.

MTP Conceito FanpageLembra dos invernos pontuados por gamas de cinza, fáceis de combinar com aquarelas quentes, ou o sofisticado monocolor com acessórios ousados? O grey praticamente esteve ausente nos desfiles do MW, mas o prata ressurgiu em collections como a de Fabiana Milazzo, que nessa edição do inverno 2016 fez um mix de silhuetas. A estilista manteve seus dress justos e sensuais, com aplicações de pedrarias e bordados sobre tule, e apresentou looks em alfaiataria, especialmente terninhos em edição luxo. A designer criou vestidos com volume, na majestosa zimbeline, e também introduziu o jeans desenvolvido no projeto Canatiba. Um denim despojado e pontuado por aplicações e pontos de brilho em vestidos e blusas de manga longa, cropped e lindas.

Em tempos de economia estagnada, dólar em alta, desemprego e crise política, a moda se apropriou de duas frentes de combate. Shapes minimalistas e despojados e as produções luxuosas, sensuais, evidenciando feminilidade em mood femme fatale ou mulheres românticas e sofisticadas. Um inverno de cores fortes e estamparia primorosa com inspirações variadas em confronto com a sofisticação clássica do preto e propostas igualmente autorais e de peças seassons, que podem enfrentar, com estilo, várias temporadas.

Por A mais B, que acompanhou e apresentou os nove desfiles do Minas Trend, selecionou alguns looks que vão estar nas araras e devem ganhar as ruas com todo lifestyle que os lançamentos de uma nova temporada provocam. Das dama sexy da Mabel Magalhães às produções despojadas (e deliciosas) da jovem marca Llás. Savoir-faire! (Fotos da Agência Fotosite)

 

Anne Est Folle – A marca de Renata Manso e Ludmila Azevedo apostou em formas leves e fluidas, muitos longuetes e algumas edições de dress curtinhos. O mix de prints pontuou a coleção do inverno com florais artsy, bordados, geometria digitalizada e estampas inspiradas na arquitetura.

 

Fabiana Milazzo – Os vestidos ultrassensuais delineando o corpo com bordados e aplicações preciosas ganharam contraste com looks em alfaitaria, feito de terninhos e saias longas ou vestidos cocktail estruturados. A estilista também mostrou dress com volumes, em zibeline prata, majestoso, mas sem decoartivismo. E fez a estreia em uma versão autoral do jeans: com pedrarias e pontos de luz

 

Faven – O tricô, expertise da grife mineira, assim como a mixagem de estampas em cores, se manteve em cena em silhuetas sequinhas ou looks em meia roda. Sobreposições, prints gráficos e geométricos e alguns looks total black, despojados e sofisticados. Ocre, laranja, verde, mostarda e bordô, maso preto pontuado a cartela de cores

 

Lucas Magalhães – Jaquetas perfecto em couro negro e trench coat também em black foram compostos com as criações autorais do estilista, um mestre da estamparia. Grafismo e op art foram as eleitas da temporada com a mistura de texturas e prints primorosa. Looks sequinhos, mídis, casaquetos. Para usar muito: conjuntinhos monocolor com calça e top longo mais justo

 

Vivaz – Conto de Fadas possibilitou que a grife apresentasse uma coleção por temas. Vestidos diáfanos, meio ninfas, meio anjos em paletas de chá e rosa clarinho. O marrom, em belíssimo tom e shapes diversos representou a guerreira das florestas em edições sofisticadas, incluindo tules sobrepostos as saias. Cinturinhas marcadas e clima 50 nos vestidos abaixo do joelho, femininos e românticos. Edições pontuais em preto, especialmente na alfaitaria privilegiando a pantacourt e um azul intenso, quase negro, em ternos sofisticados. Uma única e linda estampa de flores do campo privilegiou o verde.

 

Llás – Uma coleção fresh, pontuada por detalhes de cor ou looks em cor e o preto ancorando saias com fendas usadas com ciclistas, que são uma graça de estilo. A delicadeza dos lacinhos aplicados em camisas com fecho frontal e jaquetas mais silhuetas fluidas, com muito mídi e o branco em destaque.

 

Plural – Alfaiataria orgânica, seguindo as formas do corpo em muitos looks mídis, calças cropped, pantacourt, paletós estruturados, sobreposições e a fluidez do branco e off white em transparências veladas e sofisticadas. Uva, laranja, cereja e um azul metalizado e intenso na cartela de cores. E looks com estampa aquareladas de mulheres nuas, assinadas por Frederico Valim.

 

Mabel Magalhães – A grife mineira apresentou ternos e paletós que remetem ao emblemático Yves Saint Laurent em leitura repleta de frescor e luxo. Uma coleção com referências dos anos 80 e 90, nada óbvias, para mulheres de atitude. O suit pink, em brocado e silhueta sequinha, é marcante. As saias lápis com fenda, deixando aparecer a cinta liga é a brincadeira ‘amo ser sexy’, que pode, sim, ir a festas em lifestyle sensual. Os vestidos pretos e transparentes, com bordados e aplicações, são o hot noite da coleção. Comprimento abaixo do joelho para mulheres adultas esbanjarem elegância. Preto, branco, pink dominam o inverno da passarela Mabel Magalhães, com estamparia privilegiando o rosa e detalhes em pluma em alguns vestidos e saias. Nada casual, mas os belos paletós são peças curingas.

 

Lino Villaventura – Na sua estreia no Minas Trend, o estilista paraense deixou seus looks majestosos e ousados para o SPFW e apresentou uma cápsula jovem, despojada, fresh. Vestidos curtos e soltinhos, que podem ser usados com calças – sobreposição esperta – muito branco e preto, e estampas localizadas em três modelitos. Os detalhes mostram que o casual de Villaventura tem pedigree – com rendas e bordados, especialmente o richilieu.

 

#poramaisb – Minas Trend, inverno 2016, no Por A mais B
beth.poramais@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

 

Confira desfiles e coleções da 17ª edição do Minas Trend (Fiemg), outono/inverno 2016, de 6 a 9 de outubro, Expominas. Pelas jornalistas Anna Foureaux e Beth Barra

♥ Branco invade o inverno em mix de texturas e silhuetas na abertura do 17º Minas Trend

♥ Dress lânguidos e godês com tule mais cintura marcada no inverno da Vivaz

♥ O luxo de Fabiana Milazzo em uma coleção de contrastes e silhuetas diversas

♥ Na passarela, o mix inusitado de cores nas tramas do tricô da Faven

Lucas Magalhães adiciona a sua op art criações em tricô e couro no inverno 2016

♥ A collection usável, criativa e inspirada da Anne est Folle para o inverno 2016

♥ Traços orgânicos corpo a corpo na confortável Plural para o outono/inverno 2016

LLAS apresenta uma coleção intuitiva e espontânea para o outono/inverno 2016

♥ La Belle Femme de Mabel Magalhães para o outono/inverno 2016

Lino mantém style ‘no trend’ na coleção despojada e usável para o Minas Trend

 

Categoria: Moda e Acessórios