Incêndio (e classe) com vermelho, cor paixão do mês, de dress diva (ah… o farfalhar de sedas) ao day by day

Beth Barra

“Amo o vermelho” anotou Christian Dior no verbete ‘red’ de seu Pequeno Dicionário de Moda, lançado originalmente em 1954. O criador do new look, amante dos florais, que também imprimiu ao prêt-à-porter seus conceitos de elegância, o considerava a “cor da vida”. O rouge exige rendição incondicional – e a mesma paixão assumida pelas adeptas do preto. Assim como o black, estabeleceu um reinado particular, livre do selinho trend, mas é um desafio pela sutil fronteira entre élégance et la vulgarité.

O vermelho é personalíssimo: ora incendiário nos vestidos de festa, entre farfalhar de sedas, rendas, tafetás, pontos de brilho, decotes ou fendas vertiginosas e saltos altíssimos em clima couture; ora em edição rocker and red nas jaquetas de couro em style Perfecto (o memorável modelo com zíper na frente, criado originalmente por Schott Bros, em 1928); ora ladylike (cocktail dress) ou easychic (saia-lápis e casaqueto em leather, sexy e classudo).

Quem ama o red deve achar um tom para chamar de seu – do rubro intenso à jovialidade do cereja. Para longa duração, vale o investimento em peças com corte e movimento perfeitos, shapes limpos para o dia; tecidos nobres para  a noite. porAmaisB elegeu o vermelho a cor da semana e selecionou looks atemporais – dos incendiários (e classudos) longos diva a propostas day by day. O efeito antimonotonia se estende a acessórios que acendem produções normcore (o novo jeito de nomear looks despretensiosos, descomplicados e contemporâneos – do jeans aos tons neutros). Invista em bolsas, sapatos, echarpes, cintos – não tudo ao mesmo tempo agora.

 

Red, rosso, rouge – a gente #♥

RED TROCA VALE

Na sequência: jaqueta style perfecto Yves Saint Laurent (site Net a Porter); sandália Manolo Blahnik, (Bergdorf on line, Nova York)  é sexy, classuda e objeto de desejo; sapato Charlotte Olympia (site Net a Porter); sapato Gianvito Rossi (site Net a Porter); Converse; o clássico stiletto Roger Vivier (site Net a Porter); sapato Yves Saint Laurent (site Net a Porter)

 VERMELHO SITE 3O clássico e imbatível Tod’s; doc sider  Tory Burch; sapatilha em verniz e mix de texturas Antonio Berardi ; a queridinha ballerine Repetto; bag com spiker Valentino; clássica e atemporal bolsa da Miu Miu (tudo do site Net a Porter – #dica: navegue, delicie-se e compre)

 VERMELHO SITE 2

 Escolha um item para chamar de seu: compacta e com duas opções de alça Jimmy Choo; carteira com spiker Valentino;  carteira Azzedine Alaïa; clutch Versace com alça de corrente; miniaudière Kotur; sapato lady Jane da Miu Miu; sandália Christian Louboutin (tudo do site Net a Porter)

 

VERMELHO SITE MOULIN

Moda e cinema – Na telona, o vestido vermelho usado por Nicole Kidman em uma das cenas de Moulin Rouge (Amor em Vermelho, de Baz Luhrmann, 2001) entrou para a galeria dos mais belos e impactantes do cinema. Ele é  assinado pelos figurinistas Catherine Martin e Angus Strathie. Efeito arrebatador no modelo confeccionado em cetim vermelho,  combinação de corpete e saia com longa cauda. (Foto/divulgação)

 

UP LOOK

  • Ora dramático, ora esfuziante, o vermelho nos longos divas pede joias delicadas, não necessariamente pequenas. Um belo par de brincos com gemas de diferentes cores e design contemporâneo é uma opção impactante e classuda.
  • A Casa Pantone, que cria novos padrões de cores para a indústria gráfica – elegeu o marsala  a cor de 2015,  que remete à cidade italiana, na região da Sicília, e seus elogiados vinhos. Um deles, é o Marsala, tinto, com pitadas de especiarias, daí o tom de vinho intenso com nuances de marrom.  Uma belíssima cor, que vai migrar para roupas, acessórios, objetos de design. Opção para quem busca a intensidade, mas quer evitar o incendiário red.
  • Modelos com colo à mostra e gargantilha com brilhantes ou diamantes? Puro luxo, mas os brincos devem ser ultradiscretos.
  • Shapes limpos e minimalistas em vermelho traduzem produções contemporâneas
  • Cor antimonotonia, o vermelho em bolsas exige investimento. As bags médias e compactas podem ser usadas por várias temporadas, mas devem ser em couro legítimo, com forração interna, ferragens e outros detalhes absolutamente impecáveis.
  • Casacos e trench coat vermelhos em mix com peças clean em tons do deserto (ou da cartela de cinzas) causam efeito máximo. Atualize adotando sapato e bolsa com design da temporada.

 

NO WAY

  •   Mesmo a mais incendiária paixão pelo vermelho exige contenção. Adeptas da cor devem dominar seus desafios de elegância: o look monocolor merece atenção na escolha de joias e bijus.
  • Alerta para brincos e colares imensos em dueto com um terninho red.

 

 

RED Rene SITE 1a

O rouge de René Gruau 

René Gruau (04/02/1909 – 31/03/2004) foi um dos mais talentosos ilustradores de moda do mundo. Pintor e desenhista, criou em 1947 o cartaz de lançamento do  Miss Dior. Suas ilustrações evocam glamour, sensualidade e refinamento. Ele criava mulheres lânguidas, ora misteriosas, ora divas, usando contrastes de claro e escuro . Um dos desenhos feitos para a  Dior é  Isaphan, uma mulher com longuete vermelho, rodeada por cavalheiros de fraque. Retratava a elegância, a frivolidade e o luxo como se fossem  tão usuais como nos dourados anos 20. Trabalhou até sua morte, em 2004, aos 95 anos . Fez também  ilustrações para Vogue, L’Officiel, Harper’s Bazaar. Desenhou rótulos de  linhas de cosméticos para  maisons como  Givenchy e Balmain. “L´élégance est un fluide, donc par nature difficile à définir, mais elle est faite de vouloir et de savoir, de grâce, de raffinement, de perfection, de distinction” – (“A elegância é um fluido, tão difícil de definir, por natureza, mas é feito de vontade e conhecimento, graça, requinte, perfeição e distinção”.) – por RN.

 

Por dois mestres

“O vermelho é fascinante, é vida, sangue da morte, paixão, amor, a cura total da tristeza”
(Valentino Garavani, que se apaixonou pela cor desde os anos de trabalho no ateliê de Jean Dessès (1952). Na época, costumava ir à Ópera de Barcelona e sentiu-se eclipsado pela intensidade do rosso nos figurinos. Assim como a logo em V, o vermelho tornou-se sua assinatura até sua aposentadoria na maison, em 23 de janeiro de 2008.

 

“Uma cor energética e benéfica. Vermelhos vivos – escarlate, carmesim, cereja são alegres e juvenis. E talvez um vermelho um pouco mais sombrio seja melhor para alguém não tão jovem – e para os não tão magros. Mas certamente existe um vermelho para cada pessoa”

(Christian Dior, O Pequeno Dicionário de Moda, publicado no Brasil pela Martins Fontes Editora)

 

#poramaisb – beth.poramaisb@gmail.com

Sexy, cool, poderosa, diva
Sexy, cool, poderosa, diva
Inverno 2015 Fleche D'or (Foto Antonio Andrade)
« 1 de 16 »