Mestres da xilogravura, mandacaru e Suassuna no inverno 2015 Lucas Magalhães

Lucas Magalhaes

 

Beth Barra

O clash de prints é uma arte que Lucas Magalhães domina divinamente e o inverno 2015 do estilista, apresentado em desfile na 15ª edição do Minas Trend Preview (MW), comprova que o jovem talento – revelado em 2013 pelo  Ready To Go, projeto instalado no MW (Fiemg) – trabalha com arte e técnica a estamparia, com efeitos muito além dos trends de temporadas.

Cores vibrantes e inspiração na cultura nordestina. De Ariano Suassuna e Luiz Gonzaga, passando por Lampião e Maria Bonita, à arte do gravurista e pintor recifense Gilvan Samico e de Mestre Noza, um dos pioneiros da xilogravura, mais João Pedro do Juazeiro e Stênio Diniz, além de ritmos como maracatu, resultaram em criações belíssimas,  trabalhos de texturas,  muitas em malha prene, com processos de estamparia variados e recortes originais. Uma coleção contemporânea e farta de brasilidade pelas fontes de inspiração e o estudo dos mestres do Nordeste

Lucas Magalhães cria roupas para mulheres adultas, com corte, movimento e novas técnicas de alfaiataria. Vestidos, sobreposições de tops longos com saias abaixo do joelho, calças de corte perfeito, casacos estruturados em shape clean, permitindo a harmonia com as estampas.

Essa feminilidade unindo tradição e modernidade exige, de quem usa, certa expertise para misturar estampas – alguns dos looks exaltam essa mixagem com peças harmonizando florais, listras e a aridez do Nordeste em prinst remetendo a xilogravuras.

Em seu inverno 2015, Lucas Magalhães trabalhou ora shapes mais secos, como as saias-lápis de cós largo, delineando os quadris, sensual e elegante; ora vestidos de cintura alta e discreto evasê. Saias mais amplas, sem volume, mas rodadas, também estão no line up da coleção. Assim como vestidos mais soltos, leves, sem japonismo na forma. (Todas as imagens são da 15 ª edição do Minas Trend Preview, inverno 2015 – Agência Fotosite)

 

Sem data de validade

 

# O mix de estampas em peças sobrepostas; saia e top sequinho ou com cintura delineada

 

# A mistura delicada de tecidos, como a blusa de transparência velada, acompanhando calça e paletó na mesma estampa

 

# As sandálias de salto grosso, bem fechadas, com mixagem de couro em cores e texturas

 

# Os looks com efeito de brilho (discretíssimos e ultrachiques) em saia lápis e top

 

# Assim como nas coleções anteriores, o inverno 2015 de Lucas Magalhães é antimonotonia, mas suas criações ultrapassam a temporada. As peças do estilista não têm data de validade

 

Talento, experiência, técnica

Aos 33 anos, Lucas Magalhães já acumulou experiência e muito aprendizado trabalhando em marcas como a Patachou, Graça Ottoni, Plural, Kadosh, Iorane Rabelo, Faven e Coven, onde continua ainda hoje, mesmo após o lançamento de sua marca homônima, em 2011. Formado em Design Gráfico pela UEMG, fez especialização em Barcelona, em Criação e Conceito, na Escuela Superior de Diseño y Moda pela Felicidad Duce. Pouco antes do desfile do Inverno 2015, no Minas Trend, o estilista vendeu sua marca para o grupo Nohda, da mineira Patrícia Bonaldi (que mantém sua grife homônima, com foco em looks ladylike). A holding reúne a própria PB, a PatBo (com uma vibe mais jovem, criada pela empresária), Apartamento 3 (de Luiz Cláudio) e Lucas Magalhães – que continua diretor de estilo de sua grife.

#poramaisb – beth.poramaisb@gmail.com

 

Arte na estamparia, perfeição no corte
Arte na estamparia, perfeição no corte
Inverno 2015 Lucas Magalhães (MTP, imagens Fotosite)
« 1 de 5 »