O novo sexy de Jennifer Lopez

Por A mais B, Oh! Vivre: Jennifer Lopez como Harlee Santos, a detetive angustiada e corrupta de Shades of Blue, série da NBC que revelou novos talentos da atriz, e terá uma terceira terceira temporada (Reprodução)

Beth Barra

‘La guitarra’, apelido da adolescência, já anunciava as muitas curvas de Jennifer Lopez, que se tornaram uma marca registrada da atriz, produtora e cantora. A beldade nascida e criada no Bronx, em Nova York, filha de pais porto-riquenhos e avós de descendência européia, estreou na telinha em 1986 em uma aparição no seriado My Little Girl. Mas foi somente no final da década de 90 que ela começou uma sequência de sucessos no cinema até chegar ao longa O Garoto da Casa ao Lado, de Rob Cohen. O filme, de 2015, um de seus maiores fracassos na telona, detonado pela crítica, é também o que tem as cenas mais calientes de sua carreira, contracenando com o bonitão Ryan Guzman. Rica, bonita e aparecendo nos red carpet com looks sensuais, e não exatamente elegantes, J.Lo cresceu e apareceu quando retornou à televisão. Protagonista de Shades of Blue, da NBC, que está na segunda temporada no Brasil pela Universal, ela brilha como Harlee Santos, mãe solteira e policial corrupta, sob a chefia de Matt Wozniak, papel de Ray Liotta, com quem divide o estrelato da série. O veterano ator não rouba a cena da parceira – os os dois têm atuações impactantes nessa história misturando ambição, lealdade, traição, vícios.

Aos 47 anos de idade, a atriz, que já contracenou no cinema com Richard Gere, George Clooney, Ben Affleck, Jack Nicholson, Sean Penn, Susan Sarandon e Jane Fonda, entre outros grandes nomes, surge em um papel surpreendente. Começando pelo figurino típico de uma policial – trench coat, paletó, jeans, calça de alfaiataria. Os cabelos que costumam ser mostrados em público lisos e longos, ganharam corte long bob entre ondas e cachos. A make realça os olhos, valoriza a pele, mas é discreta como pede o dress code de uma detetive de mira certeira, que na primeira temporada trai o chefe e os parceiros ao ser encurralada pelo FBI.

shades_of_blue_post2aPor A mais B, Oh! Vivre: A atriz Jennifer Lopez em cenas de Shades of Blue, o seriado da NBC, exibido aqui pela Universal, em que troca um bolão em cena com Ray Liotta, e seu figurino discreto que quase sempre esconde as famosas curvas (Reproduções)

Essa nova Jennifer Lopez surge mais interessante e intensa do que na maioria de seus filmes para o cinema. A série, produzida por ela, e criada por Jack Orman, já teve a terceira temporada confirmada pelo NBC e revela uma atriz talentosa. Não é fácil ser Harlee Santos, policial que vive no limite entre lealdade e traição. Capaz de matar o pai da própria filha para protegê-la dele, de aceitar suborno, negociar com o FBI, roubar, extorquir e tentar se sentir um pouco limpa em meio à corrupção que adotou como sobrevivência. Essas nuances da personagem são exploradas com sutileza pela atriz, tanto que, mesmo encarnando uma vilã e matadora, ela consegue inspirar simpatia, espécie de torcida por um final menos trágico. O seriado peca por alguns exageros no roteiro, mas suas reviravoltas são a cereja do bolo feito com álcool, ciladas e a beleza da protagonista. E poucas, muito poucas cenas com curvas em evidência, o que revela seu novo jeito sexy de ser.

Jennifer Lopez estudou dança desde criança e, entre 1991 e 1993, foi fy girl na televisão em In Living Color – mas o mundo de J.Lo se tornaria muito maior quando em 1997 foi escalada para Reviravolta (U Turn), de Oliver Stone, ao lado de Sean Penn. O filme alavancou sua carreira e ela brilharia no mesmo ano em Selena, de Gregory Nava, interpretando Selena Quintanilha-Perez (1971-1995), cantora de origem mexicana, assassinada pela presidente de seu fã clube. A partir daí, J.Lo se tornaria sinônimo de curvas e sensualidade, mesmo nos papéis mais românticos.

#bethbarra
beth.poramaisb@gmail.com
bethbarramoda@gmail.com

Leia MAIS
Oh! Vivre

shades_of_blue_post3Por A mais B, Oh! Vivre: No cinema com Jennifer Lopez; na sequência, com Ryan Guzman em O Garoto da Casa ao lado (2015), um dos maiores fiascos de sua filmografia; no divertido A Sogra com Jane Fonda (2005); em cena de Um Lugar para Recomeçar (2005) ao lado de Robert Redford; em Dança Comigo? sem seduzir Richard Gere (2004); par romântico com George Clooney em Irresistível Paixão (1998) e com Rodrigo Santoro em O Que Esperar Quando Você Está Esperando (2012) – imagens: reproduções

Os comentários estão desativados.

Categoria: OH! Vivre